Fisioterapia

Reeducação do pavimento pélvico/ períneo

O períneo, também denominado de pavimento pélvico, é constituído por um conjunto de estruturas musculares e ligamentares localizadas na parte inferior da bacia, entre o osso púbico, o sacro e o cóccix. Como o nome sugere, é como se fosse o chão da bacia/pélvis.

Os músculos do pavimento pélvico (MPP) têm como função sustentar os órgãos pélvicos – útero, bexiga e reto – e ajudar na manutenção da continência, uma vez que têm a função de fechar a uretra (canal que conduz a urina para o meio exterior), a vagina e o ânus. O períneo é também a estrutura responsável pela irrigação sanguínea dos órgãos genitais, estando, por isso, inteiramente relacionado com a satisfação sexual feminina e masculina.

A incontinência urinária, a incontinência fecal, os prolapsos (descida dos órgãos), a obstipação, as alterações posturais, as dores pélvicas ou as disfunções sexuais são alguns dos problemas, cuja origem se encontra devido a alterações anatómicas da pélvis e no enfraquecimento da musculatura do períneo.

São vários os factores de risco, que podem levar a alterações desta musculatura, como a idade, alguns tipos de medicação, o excesso de peso, o sedentarismo, a tosse crónica, a prática de desportos de alto impacto (atletas), a gravidez, o número de gestações e o tipo de parto e a menopausa (no caso das mulheres), a cirurgia do cancro da próstata (no caso dos homens) e as alterações da posição da bexiga (tanto em homens como em mulheres). Outras causas são as doenças do sistema nervoso, que podem comprometer o mecanismo que conduz sinais entre a bexiga e o cérebro: AVC, diabetes, Doença de Parkinson, tumores da bexiga, entre outras.

O distúrbio mais comum na infância é a enurese nocturna, que se carateriza por um controlo inadequado da micção e perda de urina, pelo menos duas vezes por mês, principalmente durante a noite, sendo mais comum entre os rapazes.

O reforço dos músculos do pavimento pélvico é uma das medidas mais recomendadas para acelerar a recuperação da continência e é conseguido com a realização de fisioterapia.

Os tratamentos consistem no aumento da perceção corporal e consciencialização da musculatura do pavimento pélvico, através do ensino ao utente sobre a sua condição, alteração dos comportamentos e hábitos de vida e mediante a realização de um trabalho de força dos mesmos músculos. Desta forma, a reabilitação atua na promoção, prevenção, tratamento e recuperação, melhorando a função do pavimento pélvico e o controlo da função da bexiga, podendo evitar ou retardar intervenções cirúrgicas. Atua também de forma global, envolvendo a postura, a respiração e a consciencialização corporal.

O tratamento é realizado por uma fisioterapeuta especializada na área.

Estes tratamentos são indicados para todo o tipo de mulheres, em qualquer idade e/ou momento das suas vidas, desde a gravidez (pré e pós-parto) à menopausa; a situações de mulheres que praticam desportos de alto impacto; homens que tenham sido submetidos a protatectomias.

É também muito importante a reabilitação, após qualquer cirurgia pélvica, quer no sexo masculino ou feminino. Isto inclui a reconstituição genital ou outra cirurgia estética a este nível.